Negócios

CONSULTORIA EM TECNOLOGIA: QUANDO CONTRATAR

By outubro 4, 2018 No Comments

Saiba quando uma consultoria de T.I. pode te ajudar e por que contratar.

 

Com o crescimento dos negócios digitais passamos a nos deparar com softwares por toda parte. Eles são o core business de milhares de novos negócios e então presentes nos processos e operações de quase todas as empresas.

A cada ano aumenta o número de empreendedores com ideias inovadoras que, por desconhecimento técnico ou ausência de recursos, não conseguem tirá-las do papel, perdendo oportunidades valiosas de validação do mercado.

Essas ideias poderiam ter saído do imaginário e ajudado a resolver a dor de milhares de usuários, bastaria atender às seguintes condições: ter uma equipe qualificada, um planejamento adequado e as melhores soluções técnicas implementadas.

Algo semelhante acontece com projetos legados, sistemas que foram criados há algum tempo e que, por decorrência dos anos, de mudanças e outras variáveis, perdem desempenho, performance ou se tornam sensíveis à qualquer atualização.

Você provavelmente já deve ter usado ou conhece um sistema assim, que está visivelmente desatualizado ou excessivamente lento. Essa se tornou uma das principais dificuldades das empresas com modelo de negócio Saas (software as a service).

Foi pensando nessas empresas, que tem uma ideia e não sabem como materializá-la, ou que tem um sistema e estão precisando de ajuda, que criamos esta postagem. Iremos falar sobre os problemas que uma consultoria pode resolver e quando usá-la para seu negócio.

Tem ou quer começar um negócio digital? Então esse conteúdo é ideal para você.

 

O que faz uma consultoria de tecnologia e desenvolvimento de software?

 

As consultorias são formadas por profissionais de T.I. altamente qualificados, capazes de articular entre problemas e demandas diferentes, oferecendo serviços de aconselhamento ou desenvolvimento para empresas que buscam soluções e crescimento para seus negócios.

Tanto para a criação de projetos, quanto para aqueles já existentes, o consultor tem como primeiro objetivo realizar uma análise profunda e apontar o diagnóstico do seu sistema.

A análise deve identificar seu maiores problemas ou pontos que pedem por melhoria, assim como suas respectivas causas , e propor soluções eficientes com base nas tecnologias e estratégias mais recomendadas para seu sistema.
É importante que o consultor tenha conhecimento multifacetado e experiência com diversos segmentos e tipos de projetos. Essa bagagem aponta uma postura mais experiente e um leque maior de opções para solucionar problemas.

As soluções identificadas e apontadas no diagnóstico podem, ou não, ser implementadas pelo consultor, variando conforme o critério de contratação e a melhor dinâmica para cada tipo de empresa.

Isso vai depender da existência de uma equipe de desenvolvimento interna do cliente, do nível de qualificação dessa equipe e da disponibilidade que o cliente tem para investimento. É importante considerar o serviço ideal para cada necessidade.

Para alguns casos, a implementação de melhorias será por conta da consultoria, que da melhor forma possível irá materializar o que foi apontado no diagnóstico. O mesmo cabe para o acompanhamento, analisando como o sistema irá se comportar após as mudanças.

Nos casos em que for necessário, o consultor pode preparar e treinar as equipes do cliente, contribuindo para um melhor uso da plataforma e para a manutenção das melhorias implementadas.

Genericamente, a consultoria atua de três formas principais: criação de novos projetos, melhoria e atualização de sistemas legados e diagnóstico de sistemas e treinamentos.

 

Metodologias

 

As metodologias de trabalho adotadas por uma consultoria são estrategicamente pensadas para entregar, de forma rápida e simples, aquilo que o cliente mais precisa.

O trabalho deve ser efetivo e se adaptar à diferentes tipos de projetos. Assim, conhecer uma variedade de boas metodologias, que inclusive podem ser combinadas em seu planejamento, ajuda a viabilizar entregas consistentes.

Cada uma preenche diferentes requisitos, que devem ser adaptadas conforme a realidade e tipo de entrega proposta pelo cliente. O importante é que todas levem ao mesmo resultado final.

Lembre-se, tempo é dinheiro. Busque metodologias para entregas eficientes, simples e rápidas.

A metodologia ágil, por exemplo, que utilizamos na Codus Tecnologia, está focada em entregar projetos em tempo hábil e com recursos otimizados, além de maior valor agregado para o cliente.

O agile é eficaz para projetos com grande nível de complexidade e ambiente imprevisível, dividindo o seu produto final em pequenas entregas para que cada nova funcionalidade seja acompanhada de perto e reajustes possam acontecer rapidamente.

Destaque para algumas das principais metodologias usadas por consultorias:

Imagem que destaca as cinco principais metodologias usadas por consultorias

Principais metodologias para consultorias

 

Processos

 

A existência de processos de trabalho diz muito sobre a qualidade de uma consultoria e o que ela pode te oferecer. Eles são fundamentais para garantir o direcionamento do projeto e para criar etapas bem definidas, com atividades priorizadas conforme o objetivo final.

Esse é um bom critério para avaliar a qualidade dos serviços prestados pela consultoria.

Aquelas que empregam processos de trabalho bem estabelecidos tendem a ser mais organizadas, com um desenvolvimento mais cronológico, e mais responsáveis com prazos e entregas.

O cliente aponta para os profissionais seu objetivo final, seja ele criar um produto digital, identificar problemas em um sistema, ou melhorar e performance de um projeto, e cabe a consultoria apontar, passo a passo, como esse objetivo será atingido.

Para consultorias como a Codus, que trabalham principalmente com metodologias agile e novas tecnologias, um processo tende a incorporar as seguintes etapas:

 

1) Levantamento de requisitos

Na etapa inicial do projeto a prioridade é levantar todos os requisitos necessários, ou seja, entender a necessidade e o objetivo final do cliente, assim como dos futuros usuários.

Essa etapa é fundamental para a criação de um planejamento bem estruturado, que leve em consideração qual é a melhor maneira de materializar a sua ideia e de alcançar objetivos mais rapidamente.

Deve ser feita a validação da ideia proposta pelo cliente e do modelo de negócio, ajustando o projeto para que seja lucrativo e com boas chances de sucesso. Também será definida a dinâmica de trabalho e as funções dentro da equipe.

 

2) Especificação técnica ou diagnóstico

Nesta fase, que se prolonga do levantamento de requisitos, as ideias e prioridades são estruturados no produto.

Se você busca criar um novo projeto, nesse momento ele será completamente desenhado, se você está procurando melhorias para o seu sistema, serão apontados todos os pontos diagnosticados e as respectivas sugestões de melhoria.

 

3) Criação ou realização

Essa é a fase de desenvolvimento, onde tudo que foi anteriormente planejado será implementado.

O momento inicial implica na definição do design do produto, completamente alinhado com a identidade da empresa e com as demandas de UI e UX do sistema. O design deve contribuir ao máximo para os requisitos levantados na fase 1.

Na sequência serão dedicados esforços à prototipação do sistema e aos testes para validar seu funcionamento e direcionamento, garantindo a criação de um produto final, ou de um plano de melhorias, que atenda os objetivos principais.

Essa fase também poderia se chamar de “desenvolvimento” ou “programação”, já que a maior parte dos esforços serão dedicados ao trabalho dos desenvolvedores.

 

4) Validação

Projeto criado, essa é a fase dedicada aos testes. Cada funcionalidade será testada e os resultados avaliados, observando tanto o funcionamento do sistema, quanto a forma como o usuário a recebe.

Os resultados dos testes devem ser usados para realizar correções e melhorias no sistema, assim como para planejar – se for existir – uma próxima fase do produto. Com tudo ajustado e testado, principalmente as questões de performance, o produto estará pronto.

 

5) Implementação

Sistema criado e testado, chega a etapa na qual ele será implementado e começará a funcionar.

Tendo validado seu funcionamento, o produto será instalado no respectivo ambiente e todas as ações para que ele funcione integralmente serão realizadas. Entre essas ações estão inclusas o preparo e treinamento de equipes para uso e manutenção do sistema.

Pronto, projeto entregue com sucesso!

 

Quando buscar uma consultoria

 

Dito isso, resta uma última dúvida: em quais situações eu devo contratar uma consultoria?

São muitas as situações nas quais uma consultoria de tecnologia e desenvolvimento pode te ajudar. Com frequência, empresas Saas não sabem se seus sistemas tem salvação ou se a melhor alternativa seria criar projetos do zero.

Problemas como esse podem ser resolvidos de forma simples, terceirizando o olhar e experiência de equipes com conhecimento aprofundado e plural. É um segmento de muitas especificidades, no qual um olhar externo pode fazer muito diferença.

Assim, confira algumas das principais situações nas quais contratar uma consultoria pode ser uma boa opção:

 

Por fim

Consultorias são grandes aliadas para quem busca criar um novo produto digital ou para quem precisa de suporte com o seu sistema já existente. Não hesite em buscar ajuda especializada.

Quer conversar com um consultor? A Codus pode te ajudar. Basta compartilhar o seu problema ou ideia com a gente.

Leave a Reply